Dedetização nos condomínios deve ser realizada a cada seis meses

Os insetos, que estão na Terra há muito mais tempo até mesmo que os extintos dinossauros, representam mais de três quartos de todos os animais atualmente conhecidos. Há cientistas que acreditam que só as espécies de formigas, que compreendem uma pequena parte dos insetos, devam pesar mais que todas as pessoas do planeta.

Mesmo que alguns insetos – como as abelhas – sejam essenciais para a vida humana (pela função polinizadora e decompositora), na maioria das vezes na cidade (principalmente por conta do contato com o lixo e consequente transmissão de doenças), eles recebem a alcunha de praga urbana.

No verão, os dias ficam mais longos, há mais chuvas, as temperaturas aumentam e os animais se proliferam como nunca, incluindo os insetos – que tem um ciclo de vida muito rápido e se reproduzem quase sempre em grande quantidade (moscas fêmeas, por exemplo, colocam até 150 ovos por vez).

Para combater a presença excessiva destas criaturas, o melhor método ainda é a prevenção: Mantendo o lixo bem armazenado em lixeiras tampadas, mantendo os ambientes domésticos (especialmente a cozinha) limpos e aplicando repelentes, preferencialmente os naturais.

Nos condomínios, como há uma aglomeração de pessoas maior e muitos espaços comuns, podem haver esconderijos com pequenas colônias de insetos, então a dedetização preventiva é uma ação obrigatória por lei, sendo recomendado que a cada seis meses haja a contratação de uma empresa para realizar uma dedetização completa no local.

É aconselhável que o síndico informe os moradores da data e hora da administração do veneno, para que estes possam se preparar. Enquanto os técnicos especializados (que devem usar trajes específicos para se proteger) aplicam os produtos químicos, a orientação geral é que os moradores fiquem dentro dos apartamentos, pois o veneno faz mal para a saúde.

É importante que haja uma atenção redobrada em relação a crianças e animais de estimação – que são mais sensíveis e desatentos. Se um animal inala ou lambe o produto, ele pode até mesmo vir a morrer. Pessoas adultas com alergias também devem se proteger, evitando o local até três horas após a aplicação.