Dedetização protege condôminos de pragas urbanas e doenças

Os insetos representam mais de três quartos de todos os animais atualmente conhecidos. Para evitar que eles infestem e tragam doenças para dentro dos condomínios, a dedetização preventiva deve ser rotina. No município do Rio de Janeiro, se tornou até mesmo uma ação obrigatória por lei (Lei nº 1353/88).

Confira nossas orientações:

  • É importante que o síndico informe os moradores da data e hora da administração do veneno, para que estes possam se preparar. Enquanto os técnicos especializados (que devem usar trajes específicos para se proteger) aplicam os produtos químicos, a orientação geral é que os moradores fiquem dentro dos apartamentos, pois o veneno faz mal para a saúde.
  • Em relação a crianças e animais de estimação – que são mais sensíveis e desatentos, a atenção deve ser redobrada. Se um animal inala ou lambe o produto, ele pode até mesmo vir a morrer. Pessoas adultas com alergias também devem se proteger, evitando o local por, no mínimo, três horas após a aplicação.
  • A recomendação geral é que a dedetização seja realizada preventivamente a cada 4 meses, para que sejam eliminados todos os riscos de infestação;