Gerador é aliado contra queda de energia nos condomínios

Quedas de energia têm sido frequentes especialmente nesta época de chuvas. Nos condomínios, os síndicos precisam estar preparados para agir rápido, evitando prejuízos e riscos aos moradores.

O desconforto em casos de falta de energia é grande: falhas no sistema de segurança, pessoas presas em elevadores, dificuldade na entrada e saída de pessoas e veículos no caso de portões automáticos, locais escuros, além dos inconvenientes particulares de cada morador na própria unidade.

A incerteza na qualidade de fornecimento de energia elétrica por parte das concessionárias faz com que cada vez mais um número maior de condomínios opte por ter um gerador em suas dependências e investir em um sistema de energia segura, que proporcione conforto e tranquilidade, garante a disponibilidade e operação eficiente de equipamentos. Portões automáticos, elevadores, alarmes, interfones, iluminação em áreas comuns, bombas d’água e outras instalações precisam estar disponíveis 24 horas por dia, pois nem sempre há uma opção alternativa.

Assim como a aquisição de qualquer outro equipamento, é fundamental ter uma reserva financeira para os gastos além da aquisição ou locação de um gerador. Esse é outro fator que deve ser levado em conta pelo administrador do condomínio. A manutenção semestral ou anual, dependendo da escolha feita, é necessária para o prolongamento da vida útil do aparelho.

Se o condomínio não tem como arcar os custos de um gerador, é importante seguir algumas dicas, como: manter sempre lanternas com baterias carregadas na portaria, verificar se há passageiros presos no elevador – e em caso positivo chamar a empresa de manutenção do elevador ou o corpo de bombeiros -, o portão de pedestres pode ser iluminado pela luz de emergência – ou pela lanterna que deve permanecer na portaria – e deve ser aberto manualmente pelo porteiro.

Em caso de prejuízos decorrentes de queda de energia na rede de distribuição, a responsabilidade pela reparação dos danos é da concessionária, de acordo com o Código de Defesa do Consumidor (CDC) e a com a Resolução Normativa nº 414/10 da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Dessa forma, se houver danos a aparelhos elétricos, as distribuidoras de energia devem consertar, substituir ou ressarcir os consumidores. Pela resolução da Aneel, o prazo para encaminhar uma queixa à concessionária é de até 90 dias corridos, contados da data da ocorrência do dano.