Home Office no condomínio: Como proceder?

A vida acelerada, típica de grandes cidades, impulsionou a popularização dos Home Offices: unir no mesmo ambiente residência e escritório traz inúmeras vantagens. Como exemplo, podemos citar trabalhar sem enfrentar um longo tempo no trânsito, sem abrir mão do conforto de casa e da convivência com a família e não ter que pagar um aluguel caro em uma área comercial.

Tais características refletem diretamente na melhoria de qualidade de vida do profissional que optou por este novo formato de escritório. Por outro lado, se o home-office tiver sido instalado em um condomínio vertical, algumas regras  deverão ser seguidas em prol da boa convivência e da qualidade de vida com os vizinhos.

Em primeiro lugar, o profissional que deseja montar o home office deve estudar o posicionamento da Convenção do Condomínio em relação às atividades comerciais. No geral, as restrições incluem somente as atividades que geram consumo de energia elétrica, água ou gás, no caso de cobrança coletiva. Se o regimento não possui tópicos que especifiquem o tema, é necessário decidir em assembleia e propor uma regulamentação que o paute e contemple o direito dos outros condôminos.

Por ser uma proposta nova, sem muitas regulamentações, o parâmetro principal deve ser o bom senso. Nem todas as atividades são adequadas ao ambiente do condomínio. As mais indicadas são aquelas de cunho intelectual, que possam ser realizadas em grande parte com o auxílio do computador e telefone. Já atividades que demandam o uso de equipamentos grandes, que causem ruídos altos, como salão de beleza, atelier de costura e clínicas não são compatíveis com a ideia de condomínio por causar transtornos em relação ao barulho. Além disso, essas funções dependem de autorizações especiais para funcionamento.

Depois de montado o negócio, independentemente da atividade escolhida, a recomendação para o morador que decide trabalhar em casa é que informe ao corpo do condomínio (síndico, funcionários e moradores) sobre a atividade. Se ele quiser divulgar seu negócio dentro do condomínio, o síndico pode lhe conceder um espaço no mural ou onde achar mais adequado, mas essa comunicação deve ser realizada de forma a causar o mínimo possível de incômodo para os outros condôminos.

Outro ponto importante afetado com a instalação de home-offices é a segurança dos condôminos. Como a frequência de entrada e saída de visitantes cresce, aumenta também o risco de furtos, portanto é essencial que o profissional mantenha o porteiro a par de todas as visitas.

Por fim, ressaltamos que se o condômino respeita a lei e não utiliza sua unidade de maneira prejudicial ao sossego, salubridade e segurança dos outros condôminos, não há motivos para conflitos e que no caso de divergências, o síndico deverá propor uma conciliação e negociar a solução de forma que os dois lados sejam contemplados.