Testes simples detectam vazamentos e evitam desperdício no condomínio

De acordo com os dados do relatório do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento do Ministério das Cidades, 37% de toda a água tratada pelas companhias de saneamento do país são desperdiçados. Comparando com a produção de um padeiro, é como se a cada 10 pães feitos, quase quatro fossem jogados fora. Uma das principais causas? Vazamentos em tubulações.

Para evitá-los no condomínio, alguns testes simples, recomendados inclusive por várias companhias de distribuição de água, podem ser feitos periodicamente pelo próprio zelador, a fim de identificar precocemente vazamentos e problemas nas tubulações do prédio, evitando que a água seja desperdiçada e que os moradores paguem pelo que não estão consumindo. Confira abaixo:

No Condomínio

Verifique os reservatórios (cisternas) de edifícios:

  1. Feche o registro de saída do reservatório do subsolo;
  2. Feche completamente a torneira da bóia;
  3. Marque no reservatório o nível da água e, após 1 hora, no mínimo, veja se ele baixou. Em caso afirmativo, há vasamento;

No cano alimentado diretamente pela rede:

  1. Feche o registro do cavalete;
  2. Abra uma torneira alimentada diretamente pela rede da companhia de água (torneira do jardim, por exemplo);
  3. Espere até a água parar de correr;
  4. Coloque um copo cheio de água na boca da torneira;
  5. Se houver sucção da água do copo pela torneira, é sinal que existe vazamento no cano alimentado diretamente pela rede.

Nas Unidades

Verifique vazamentos em:

Vaso Sanitário: Verifique se há vazamento de água no vaso removendo a tampa da caixa e escutando de perto. Se escutar qualquer som sibilante, tente localizar de onde ele vem.

Válvulas hidra: sem cuidado preventivo, a válvula pode se desregular e soltar um pequeno fio de água o tempo todo.

Torneira (ou chuveiro) pingando: devido ao uso, algumas peças da torneira ficam mais soltos ou pedem troca, caso do “vedante”, por exemplo.

Registros: devem estar em perfeito estado, pois comandam partes da tubulação.

Cotovelo do vaso sanitário: como há passagem de muita água por ali, é importante que esteja em perfeitas condições.

Se localizar a área de onde o vazamento está vindo, avalie se é simples (como apertar alguma peça) e se pode consertá-lo. Se não puder, chame um encanador.

Como monitorar o consumo

Deve ser feita a medição no hidrômetro do condomínio, pelo menos uma vez ao dia, sempre no mesmo horário. Assim, fica mais fácil descobrir se há vazamento.

De noite, um vigia ou porteiro pode descer até o último piso e “ouvir” as prumadas. Com o silêncio, é possível saber se há vazamento em alguma prumada.

A manutenção periódica deve incluir troca de pequenas peças no momento de visita à unidade.

Caso a tubulação seja de ferro, evite a substituição por peças de cobre. Essas aceleram a corrosão das partes de ferro.

Atente às paredes das áreas comuns. Inchaço nessas estruturas pode ser sinal de infiltração ou vazamentos.